Uma vez estava em uma palestra da Marilena Chaui quando sentou-se ao meu lado direito, um senhor magro, calvo, de barba, com um charuto na mão e um olhar apreensivo sobre o espetáculo que via.

– Boa noite, o senhor está gostando?
– Estou tentando ser imparcial.
– O que você faz?
– Psicanálise.
– Caramba, o que faz um psicanalista aqui?
– Na verdade eu sou de outra época, me chamo Sigmund, fui enviado para tentar entender o que está se passando.
– Outra época? Como assim?
– Morri em 1939, estava no purgatório, até que em 1994 apareceu um maestro daqui, dizendo “O Brasil não é para principiantes”, então destacaram alguns nomes da história para analisar o que está se passando aqui. De loucura eu entendo…
– Caramba! Você não é o famoso…
– Sigmund Freud meu amigo! Sou eu mesmo… mas por favor, não dê alarde, minha tarefa está sendo árdua.
– Eu li um pouco de sua obra… O que o senhor acha dessa mulher doutor? Será a inveja do pênis?
– Não… Inveja do pênis tem aquele rapaz cabeludo ali do lado…
– Qual deles?
– O tal Jean Wyllys.
– Caramba! Mas e ela…?
– Ela TEM um pênis! Foi por isso que fui enviado… Deveriam ter enviado um geneticista…

Freud tirou um estranho celular do bolso e iniciou uma chamada:

– Crick, chame Watson com urgência! Preciso que vocês dois venham ver isso o mais rápido possível.

Freud me olhou e continuou:

– Aquela gorducha dentuça ao lado da Chauí, no princípio achei que fosse complexo de Édipo.
– Quem, a Dilma Rousseff?!
– Sim!
– E o que concluiu?
– Chamei especialistas, vão chegar a qualquer momento.
– Qual o problema afinal?!
– Ela TAMBÉM tem um pênis!
– Caramba!
– Olhe o volume nas calças dela, é maior que o da Michelle Obama!
– Doutor, mais alguma coisa que eu devo saber?
– Sim! Estarrecedor! Aquele senhor de pé…
– Quem? O Eduardo Suplicy?!
– Sim! Ele está morto há mais de dez anos e o espírito não abandona o corpo!

Do meu lado esquerdo me cutucou um senhor gordo de chapéu branco:

– Não se assuste, é exatamente o que eu disse! Eles não acreditaram… O Brasil não é para principiantes!
– Tom Jobim?!
– Eu vim para orientar o doutor, mostrar quem é quem.

Me despedi de Tom Jobim e Freud, e fui saindo, então um rápido clarão e vi uma dupla de doutores se aproximando.

– James Watson e Francis Crick! Sejam muito bem vindos, é uma grande honra conhecê-los! Freud e Jobim estão na terceira fileira, e lhes aguardam.

Os dois me olharam com uma expressão de espanto, quanto a mim, nada mais me podia assustar à aquela altura.

Percebi que o problema do Brasil estava além de minha compreensão, na saída encontrei os quatro e perguntei antes de vê-los desaparecer:

– Senhores, se eu contar ninguém vai acreditar, o que está se passando aqui?
– Também não estamos entendendo, vamos dar um pulo na Virgínia, o único que está entendendo alguma coisa mora lá… Avise o povo para ouvir esse homem! Ele TEM RAZÃO!
– De quem vocês estão falando?

O clarão os recolheu, e nunca mais os vi.

Anúncios