Brigas constantes, tudo começou bem e ia bem e você se pergunta como foi possível chegar até a situação atual, onde aquela pessoa que você tanto ama se tornou o motivo de tanta discórdia.

Não é possível nem ver a cara da pessoa, uma briga vai acontecer.

Se ela diz sim, sua resposta é não sem pensar.

Se diz não, é sim automaticamente.

Irritante é a palavra que define a companhia da pessoa, e você se pergunta como isso foi acontecer?

Você se lembra daqueles momentos românticos, doces e maravilhosos do início do relacionamento, dos quais sente muita saudade e se depara com um dia a dia onde você não mais o reconhece.

O nome disso é incompatibilidade de gênios, geralmente os casais precisam de um certo equilíbrio, onde um é mais bravo e o outro é mais calmo, mas quando um é muito bravo e o outro também, o resultado são brigas ferozes, e se um é muito calmo e outro também, isso conduz a um tédio que gera uma briga silenciosa mas que nenhum dá o braço a torcer; em ambos os casos o relacionamento tende a acabar.

Foi exatamente isso que separou a atriz Tereza Xavier, 39, do marido. Pouco depois do começo do namoro, ela se mudou para a casa do namorado, no Rio de Janeiro. “O plano era mesmo ficarmos juntos para sempre“, conta. “Mas a incompatibilidade foi maior. A gente se amava, mas não conseguia se entender.

Seis meses depois de ter assumido, de fato, que eles eram marido e mulher, Tereza fez as malas.

Oras, se o objetivo fosse terminar, nem sequer teria começado, e por outro lado conviver com as diferenças é muito difícil.

Se este é seu caso, você está com um problema e seu relacionamento pode estar por um fio.

Segundo dados do IBGE 2010, 25% dos casamentos estão terminando em divórcio, sendo que 80% estão enfrentando alguma crise. Destes que estão em crise provavelmente 20% estarão separados em apenas 12 meses. Em outras palavras, você pode estar perdendo a pessoa amada sem se dar conta em menos de um ano.

Segundo o site ICPB: “O primeiro vilão desta calamitosa realidade é a incompatibilidade de gênios, depois, questões financeiras, seguido então da sexualidade do casal.”.

A coisa não é muito grave quando se trata de um namoro em fase inicial, mas quando se trata de um relacionamento estável não é tão fácil, e muito mais difícil ainda é quando se trata de um relacionamento de longa data ou casamento, e pior ainda quando existem filhos e outros compromissos no meio, pois além do seu estado emocional, existem responsabilidades maiores, como o futuro das crianças ou complicações de ordem jurídica, em outras palavras, pode ser muito difícil mesmo o processo de um rompimento.

Segundo a professora doutora Lídia Weber, do departamento de psicologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), a separação dos pais sempre causa sofrimento aos filhos, independentemente da idade. A partir de um ano, a criança já sente os traumas em não conviver mais diretamente com um dos pais.

Também a ideia de recomeçar tudo do zero, para quem já começou construir sua vida, não é nada agradável.

Caso seu objetivo seja salvar o relacionamento, acredite, é possível.

Depois de muito estudar, escrevi um e-book com algumas dicas para quem tem interesse no assunto, não estou cobrando nada pelo e-book, apenas peço que me dê um feedback, ou seja, me mande um e-mail dizendo o que achou.

Para receber seu e-book, deixe seu e-mail no formulário abaixo que eu te envio em menos de 24 horas, e peço por favor que após lê-lo me escreva com sua opinião, meu e-mail estará na última página do e-book.

Anúncios